sábado, 28 de agosto de 2010

CTS-Brasil assina convênio com a Prefeitura de Belo Horizonte para qualificação do transporte público


Publicado em Aug 13 2010 - CTS
MoU BH - Isabel Baldoni [2].JPG
Dentro do projeto de estruturação da capital mineira para sediar jogos da Copa do Mundo em 2014, nesta quinta-feira, dia 12/08, foi assinado convênio da Prefeitura de Belo Horizonte com a EMBARQ e o CTS-Brasil. Experientes na parceria com cidades do mundo no desenvolvimento e implementação de soluções sustentáveis para os problemas de transporte e mobilidade, essas organizações vão contribuir para a qualidade dos sistemas BRT (Bus Rapid Transit) de Belo Horizonte. O evento contou com a presença de representantes do setor de transporte e mobilidade urbana entre os quais o prefeito Márcio Araújo de Lacerda e o diretor-presidente do CTS-Brasil, Luis Antonio Lindau, que formalizaram o acordo.
Até a Copa das Confederações de 2013, a capital mineira está determinada a implantar uma rede estruturadora de BRT composta por três corredores construídos a partir de uma identidade comum de rede. A cooperação técnica incluirá a troca de experiências entre técnicos da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas – SMURBE, da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte – BHTRANS e especialistas da Rede EMBARQ e CTS-Brasil.
O programa de colaboração iniciou com uma oficina de Alinhamento Estratégico para o projeto BRT, com a participação de gestores, técnicos e operadores de ônibus, em que será construído o entendimento quanto ao encadeamento das etapas chaves para uma implantação exitosa dos sistemas. Nos dias 11 e 12 agosto, na Prefeitura de Belo Horizonte, a oficina desenvolveu uma análise estruturada de riscos do projeto.
O EMBARQ BRT Simulator, software desenvolvido pelo CTS-Brasil para testar a capacidade dos corredores que adotam o sistema BRT, será usado para aprimorar os sistemas. Ao simular os projetos, os técnicos poderão melhorar trajetos e estações antes de começar as obras, o que se refletirá em economia de recursos e ganhos de tempo.
O Programa de Colaboração Belo Horizonte busca melhorar a qualidade e eficiência do sistema de transporte; reduzir a poluição atmosférica; reduzir as emissões de gases de efeito estufa; melhorar a acessibilidade, segurança viária e segurança pública; melhorar a qualidade dos espaços públicos e melhorar a saúde pública.
O presidente do CTS-Brasil, Luis Antonio Lindau, entende o BRT como uma boa alternativa de transporte coletivo urbano, que pode ser rápido e frequente, como é o sonho de qualquer cidadão. “Um BRT de qualidade pode inclusive atrair novos passageiros”, diz ele, e dá um exemplo: “O Metrobús da Cidade do México, implantado com a participação do CTS-México, da Rede EMBARQ, hoje tem entre seus usuários 6% de migrantes do carro particular e o número vem crescendo”. Restringir o uso do carro é a única maneira de evitar os congestionamentos e um bom transporte coletivo é o caminho menos penoso, entende o presidente do CTS-Brasil. “Belo Horizonte pode tornar-se um belo exemplo para o mundo, com um sistema BRT de qualidade, que seja uma verdadeira alternativa ao uso do automóvel”.
Fotos por Isabel Baldoni
MoU BH - Isabel Baldoni.JPG
Assinatura do Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de BH e o CTS-Brasil.

sábado, 14 de agosto de 2010

Audiência pública discutiu impactos do novo Terminal Rodoviário

Nova audiência será realizada em 20 de agosto, na sede da BHTRANS.

O presidente da BHTRANS, Ramon Victor Cesar participou da abertura da audiência pública realizada segunda-feira, 9, à noite, no bairro São Paulo para discussão do empreendimento “Terminal Rodoviário São Gabriel”, que será construído próximo à Estação BHBUS São Gabriel. O encontro para discussão do empreendimento foi promovido pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM).

No momento, o empreendimento encontra-se em processo de licenciamento ambiental, na fase de Licença Prévia (LP), na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, e a audiência pública fez parte desse processo. Nessa etapa, está sendo discutida a viabilidade do empreendimento a partir de uma proposta de concepção e planejamento, analisada nos estudos ambientais (EIA e RIMA) e também pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente. O Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM) é que vota a concessão da LP e indica as condições em que o empreendimento pode ser implantado, bem como as medidas a serem adotadas no desenvolvimento do projeto e durante o período de obras.

A audiência pública reuniu cerca de 400 moradores dos bairros São Gabriel, Minaslândia, São Paulo, Eymard, Providência e outros. Foi feita uma apresentação técnica do projeto de arquitetura e dos estudos ambientais da área de influência. Logo depois os participantes da audiência discutiram os impactos que a construção do empreendimento  vai ocasionar  e as medidas propostas para reduzir os impactos e compensar a população pelos eventuais transtornos. Com relação ao trânsito, o presidente Ramon Victor Cesar afirmou que, ao contrário da atual rodoviária, a do São Gabriel terá uma localização privilegiada ao lado de vias importantes e de grande capacidade como o Anel Rodoviário, com saídas para Brasília, Rio, Vitória, São Paulo e outras capitais, e a avenida Cristiano Machado (Linha Verde). O que também favorece a construção do novo empreendimento será a facilidade de acesso através do metrô e da Estação BHBus do bairro São Gabriel. Ramon Cesar lembrou ainda que o sistema viário  do entorno do novo empreendimento  passará por diversas  melhorias, como a abertura de novas ruas e a construção de passarelas na avenida Cristiano Machado e no Anel Rodoviário.

Com relação às famílias da área que será desapropriada para a construção do empreendimento, elas serão atendidas pela Prefeitura de Belo Horizonte, dentro dos procedimentos definidos pela política habitacional que oferece alternativas aos moradores, garantindo seus direitos e trabalhando para que a mudança seja positiva para todos.

Uma nova audiência será realizada em 20 de agosto, na sede da BHTRANS, na Avenida Engenheiro Carlos Goulart, 900, Buritis, a partir de 14h30. Esse encontro vai reunir os empreendedores interessados em participar da licitação para concessão do Novo Terminal Rodoviário de Belo Horizonte.

Como deverá ser o novo terminal rodoviário

O projeto do Terminal Rodoviário São Gabriel prevê dois setores distintos: um destinado ao terminal rodoviário e outro voltado a atividades comerciais e de serviços. A rodoviária possuirá dois pavimentos, com 35.500 m², ligada por passarelas à Estação BHBUS São Gabriel e também ao empreendimento comercial a ser implantado. Todo o projeto está sendo estudado para garantir o melhor funcionamento do terminal e maior conforto aos usuários.

A proposta inicial para o empreendimento comercial associado ao terminal é de um hotel com 240 apartamentos e 14 pavimentos e um centro comercial com um pavimento, diversas lojas e um supermercado, voltados para uma praça de alimentação.


Confira abaixo ilustração de proposta do empreendimento.
http://www.bhtrans.pbh.gov.br/portal/pls/portal/docs/1/5430216.JPG

Assessoria de Comunicação e Marketing da BHTRANS – 09.08.2010

Corredores rápidos de ônibus mais perto de Belo Horizonte




Usuários do transporte coletivo de Belo Horizonte serão beneficiados em breve.
Para garantir uma melhor qualidade do serviço o prefeito Marcio Lacerda assinou ontem um convênio com a Embarq e o Centro de Transporte Sustentável do Brasil (CTS-Brasil), organizações focadas no transporte sustentável e experientes na implantação de sistemas Bus Rapid Transit (BRT). O objetivo do projeto é reduzir o tempo de deslocamento do passageiro, aumentar o conforto e a segurança, e consequentemente, melhorar as condições de mobilidade urbana. A cerimônia, que aconteceu na sede da Prefeitura, contou com a presença de representantes de órgãos da PBH, autoridades do governo do Estado e sindicatos de concessionárias.

O BRT vai interligar os corredores das avenidas Antônio Carlos com Pedro I, Pedro II e Carlos Luz, além de potencializar o transporte coletivo na avenida Cristiano Machado. Além disso, vias da região central também serão atendidas. Segundo Marcio Lacerda, a previsão é que no segundo semestre de 2012 corredores no Centro e Pampulha comecem a operar. "Os ônibus BRTs irão complementar e substituir os tradicionais que existem", afirmou o prefeito.

De acordo com o presidente da CTS-Brasil, Luis Antônio Lindau, a missão é garantir a implantação de um projeto sustentável. "Belo Horizonte tem uma demanda grande de passageiros e o BRT será um verdadeiro metrô circulando na superfície, pois o coletivo terá um tamanho maior que o normal", enfatiza.

Assessoria de Comunicação - Prefeitura de Belo Horizonte