sexta-feira, 11 de junho de 2010

PBH tenta atrair empresas para nova rodoviária e o BRT


10/6/2010
O Tempo (MG)


A Prefeitura de Belo Horizonte espera atrair até 2012 cerca de R$ 600 milhões em investimentos por meio do modelo de Parceria Público-Privada (PPP) para obras de infraestrutura na capital mineira, exceto os projetos de expansão do metrô. Hoje, a PBH lança o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), uma espécie de consulta pública, em busca de interessados nos projetos de concessão que devem durar até 20 anos, Estão incluídas a construção do centro de convenções da avenida Cristiano Machado e do espaço gastronômico do Cruzeiro, onde hoje funciona o mercado distrital. O prazo para o recebimento das propostas é de 60 dias.
      
Para atrair os investimentos, a PBH precisa criar uma empresa de ativos, com recursos entre R$ 1,2 bilhão e R$ 1,5 bilhão, para dar garantias aos negócios. A administração municipal também buscaviabilizar parcerias para a construção do novo terminal rodoviário, do hospital metropolitano, estacionamentos subterrâneos e de estações para o ramal de transporte rápido urbano, BRT (Bus Rapid Transit).
A expectativa é que as licitações ocorram entre o segundo semestre deste ano e o primeiro semestre de 2011. Ontem, o prefeito Marcio Lacerda e o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) fizeram a apresentação dos projetos a representantes de bancos privados, fundos de pensão, consultorias, construtoras e empresas. "Parte importante dos investimentos da prefeitura virá da iniciativa privada por meio de concessões ou PPPs", disse Lacerda.
          
A participação da prefeitura será com a alocação de recursos ou por meio da cessão de terrenos. De acordo com o presidente do BDMG, Paulo Paiva, a instituição poderá atuar na construção das modelagens de parceria, na intermediação dos negócios e no financiamento dos projetos.

PAC 2 prevê levar o metrô até o Novo Eldorado, em Contagem.       
Segundo o prefeito Marcio Lacerda, do total de cerca de R$ 18 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 para a área de mobilidade, uma "parcela considerável" será destinada ao metrô.
          
Cerca de R$ 1,026 bilhão já estariam assegurados para a capital mineira, com vistas à Copa do Mundo de 2014. Lacerda disse que foram incluídos no projeto de PPP do metrô mais dois quilômetros de extensão até o bairro Novo Eldorado, em Contagem, que terá ainda uma rodoviária anexa. Outro projeto prevê a construção de um ramal de transporte de massa, ligando a estação Vilarinho ao Centro Administrativo. O modelo de PPP, no entanto, precisa do aval do presidente Lula. "É uma decisão política. Achamos que a PPP é mais viável", disse Lacerda. (ZM)