quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

BRT tem data de inauguração marcada em Belo Horizonte

21/11/2013 - Diário Catarinense

Obra será a primeira opção de transporte para quem desembarcar na capital mineira em 2014

Michael Eudes

Move deverá atender 700 mil pessoas diariamente
créditos: Divulgação

A principal obra de mobilidade urbana para a Copa em Belo Horizonte — o ônibus rápido BRT — será inaugurado em 15 de fevereiro. Essa é a data firmada pela prefeitura da capital mineira para que o Move (nome dado ao BRT) comece a operar. As obras estruturais — corredores e estações de ônibus — serão encerradas em 31 de dezembro. O problema é que a obra, estimada em R$ 858 milhões, já dura dois anos e está sete meses atrasada: deveria ter sido concluída em maio deste ano.

Os primeiros corredores a serem liberados serão os da avenida Cristiano Machado e da área central, nas avenidas Paraná e Santos Dumont. Esses são locais de intenso trânsito e apresentam o maior fluxo de veículos e pessoas na cidade devido à intensa atividade comercial. Um mês depois, em 15 de março, será liberado o Move no corredor das avenidas Antônio Carlos e Pedro I, que são as principais vias de acesso dos torcedores ao estádio Mineirão, sede dos jogos do Mundial. Já a integração com as estações Vilarinho e Venda Nova, acessos para o Aeroporto de Confins, será concluída em 15 de abril.

De acordo com a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), o Move atenderá 700 mil pessoas diariamente. A expectativa é que, no período de realização do Mundial, as 42 estações desafoguem o tráfego intenso de pessoas com destino ao estádio. Estima-se que o tempo de viagem diminua 35 minutos para quem vai do centro até a região da Pampulha, onde fica o Mineirão.

O Move será a primeira opção dos torcedores e turistas que desembarcarão na cidade no mês de junho do ano que vem, já que o metrô não será expandido até o Mineirão. Em visita a Belo Horizonte, no mês de agosto, a presidente Dilma Rousseff garantiu a liberação de mais R$ 2 bilhões para ampliação do metrô da cidade. Anteriormente, o governo federal já havia liberado R$ 1 bilhão, do orçamento da União, mais R$750 mil via financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

No entanto, o repasse desses recursos depende do planejamento executivo das obras, ainda em fase de elaboração pelo governo estadual e municipal. Para a Copa do Mundo, o metrô servirá apenas de suporte para quem visitar outros pontos da cidade, bem distantes do estádio sede do evento.

Quem mais torce para o pontapé inicial do Mundial são os lojistas da área central de Belo Horizonte. O canteiro de obras das estações do Move nas avenidas Paraná e Santos Dumont diminuiu consideravelmente o fluxo de pedestres, afugentando a clientela dos comerciantes da região.

"Diariamente cerca de 28,5 mil veículos passam por essas duas avenidas, somente no horário de maior movimento. Com a interdição para as obras, 84 linhas de ônibus deixam de circular no local, o que significa uma perda diária de cerca de 10 mil passageiros e possíveis consumidores" reclama Bruno Falci, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário