quarta-feira, 9 de abril de 2014

Move Metropolitano começa a funcionar no próximo dia 26

09/04/2014 - O Tempo - BH / Estado de Minas

Nos próximos dias 26 e 27, o transporte coletivo do entorno de Belo Horizonte começa a passar por uma grande transformação para a implantação do Move Metropolitano (nome dado ao BRT). O sistema vai funcionar em paralelo ao Move da capital e terá estações exclusivas, onde os usuários vindos dos bairros precisarão descer para embarcar em ônibus articulados rumo a outros pontos da capital.

Nessa primeira fase, a integração ocorrerá na antiga Estação São Gabriel, desativada após a inauguração do Move da capital. Ela receberá 31 linhas alimentadoras (que vem dos bairros, em substituição a 36 convencionais) de seis municípios e será ponto de partida de duas linhas troncais – pelos corredores exclusivos até o centro (400C direta, sem parar nas estações, e 401C paradora). Estão previstas também duas linhas para a Cidade Industrial, em Contagem: uma pela Via Expressa (405 R) e outra pela avenida Amazonas (406 R).

Da Estação São Gabriel em diante, os ônibus do BRT dividirão espaço com as linhas da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) nos corredores exclusivos para o sistema das avenidas Cristiano Machado, Paraná e Santos Dumont.

"Nossa expectativa é reduzir em cerca de 30 minutos o tempo de viagem e em 70% o número de ônibus (serão cerca de 700 a menos diariamente) da região metropolitana ao centro de Belo Horizonte", disse o subsecretário de Regulação de Transportes da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), Diogo Prosdocimi.

As primeiras 31 linhas alimentadoras integradas ao novo sistema virão de Caeté, Jaboticatubas, Nova União, Sabará, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas. Cerca de 35 mil passageiros devem usar o sistema por dia nessa primeira etapa.

Prosdocimi explicou que essas linhas continuarão atendendo os usuários nos bairros. O que muda é o percurso das linhas, que não será mais até o centro de Belo Horizonte e terá como ponto final a Estação São Gabriel. No local, além das quatro novas linhas, os usuários poderão descer futuramente nas estações de transferência ao longo da Cristiano Machado e pegar uma linha que virá do terminal Vilarinho rumo à área hospitalar.

Sistema. A inauguração do Move Metropolitano na Estação São Gabriel faz parte de uma série de ampliações do sistema prevista para este ano. Ao todo, serão sete estações. Em maio, a Setop promete implantar, mesmo que em obras, cinco delas – na capital, em Vespasiano, Ribeirão das Neves e Santa Luzia. A última a ser inaugurada será a Tergip (a atual rodoviária da capital, que será transferida para uma nova sede no São Gabriel).

No fim da implantação, o Move Metropolitano deve contar com 288 ônibus: 115 articulados, 154 padrons mistos (com portas dos dois lados) e 19 padrons convencionais (com portas só do lado esquerdo). Eles terão ar-condicionado e outras tecnologias aos moldes do BRT da capital.

VLT Aeroporto

Estudo. A implantação do Veículo Leve sobre Trilhos, que ligará a capital ao aeroporto de Confins, está sendo discutida entre o Estado e as prefeituras envolvidas. O edital de licitação do Rodoanel Norte deverá ser publicado nas próximas semanas.

Saiba mais sobre o sistema

Investimentos. O Move Metropolitano é de responsabilidade do Estado. A construção dos terminais do BRT está custando aos cofres estaduais R$ 162 milhões. Estão sendo gastos outros R$ 30 milhões em intervenções viárias.

Improviso. A Setop promete inaugurar até o mês de maio cinco das sete estações do Move Metropolitano. Mas elas começam ainda na base do improviso. Na área hospitalar, na capital, a estação da avenida Bernardo Monteiro só deve ficar pronta em 2015. Até lá, os pontos de ônibus serão improvisados na avenida dos Andradas e na rua Ceará.

Rodoviária. No caso da nova rodoviária da capital, no bairro São Gabriel, na região Nordeste, enquanto ela não estiver pronta para receber o Move Metropolitano, os ônibus do sistema irão usar duas estações municipais (uma na avenida Paraná e outra na Santos Dumont).

Região. Os terminais São Benedito, em Santa Luzia, e Justinópolis, em Ribeirão das Neves, também só ficam prontos em 2015, mas começam a funcionar em estações metálicas móveis, improvisadas ao lado das obras.

Pistas exclusivas serão restritas

Assim como o da capital, o Move Metropolitano vai esbarrar em trajetos fora das pistas exclusivas. Tirando as avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Pedro I, Paraná e Santos Dumont, os ônibus do sistema vão circular em faixas mistas.

A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) informou que estuda formas de melhorar o desempenho dos ônibus nesses trechos, por meio de obras viárias e faixas preferenciais. "Na avenida Brasília (em Santa Luzia), por exemplo, estamos propondo tratamentos, como vias preferenciais e até a necessidade de uma estação", declarou o subsecretário de Regulação de Transportes da Setop, Diogo Prosdocimi.

Ele ameniza o problema, no entanto, afirmando que onde há grandes congestionamentos haverá corredores exclusivos. "A dificuldade não é chegar até a Estação Vilarinho, mas é ir da Vilarinho para o centro", completou o subsecretário.

Novidades. De acordo com a Setop, quando o sistema estiver todo implantado, serão 14 linhas troncais, sendo dez para a área central e quatro para a área hospitalar. Haverá linhas circulando também pelas avenidas Civilização (Ribeirão das Neves), Vilarinho (Venda Nova) e Brasília, além da rua Padre Pedro Pinto (Venda Nova) e da rodovia MG–010.

A Setop adiantou também que algumas linhas terão como destino a alameda da Serra, em Nova Lima. As datas de inauguração das linhas, no entanto, não foram informadas. Outra expectativa é aumentar em 364% o número de linhas alimentadoras após o Move, passando de 39 linhas para 181.

Melhoria é urgente para passageiros

Duas horas para ir e duas horas para voltar. Esse é o tempo médio que a babá Dara Mendes, 26, gasta diariamente entre Sabará, na região metropolitana, onde mora, e seu trabalho, no bairro Mangabeiras, na região Centro-Sul da capital. Ela disse que a situação piorou ainda mais depois que a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) inaugurou o Move municipal. "O trânsito ficou ainda mais parado na Cristiano Machado, enquanto o corredor exclusivo do BRT fica vazio", reclamou.

Com a promessa de inauguração do Move Metropolitano no próximo dia 26, ela espera que o tempo de viagem diminua. "Se o ônibus pegar trânsito livre no corredor, será melhor. Pior do que está hoje, não tem como ficar", afirmou Dara. Para chegar ao trabalho às 8h, ela é obrigada a sair de casa às 6h. Na última segunda-feira, no entanto, a babá conta que ficou duas horas e 30 minutos dentro do ônibus na volta para casa.

Estado de Minas

BRT na Av. Cristiano Machado deve estar em pleno funcionamento até 3 de maio

Cronograma obtido pelo EM mostra que BHTrans pretende concluir implantação até o começo do próximo mês. Estação vilarinho deve estar integrada ao sistema BRT até dia 19

Depois de adiar as primeiras mudanças nas linhas, previstas inicialmente para 22 de março, a BHTrans deve encerrar no início de maio o cronograma de implantação das três fases do BRT/Move no corredor da Avenida Cristiano Machado, no Vetor Norte de Belo Horizonte. Além das seis novas linhas cujo início de operação foi antecipado ontem pelo Estado de Minas, planejamento completo obtido pela reportagem aponta a alteração no quadro de horários de outros cinco itinerários – incluindo as três linhas troncais já em operação na Estação São Gabriel (83D, 83P e 82) – a partir de sábado, quando entra em operação a primeira fase das alterações.

De acordo com o planejamento, 19 linhas novas substituirão 17 itinerários atuais. O princípio seguido é o da divisão dos atuais trajetos, otimizando a distribuição dos coletivos até o hipercentro de BH por meio da concentração de usuários nas linhas troncais, que percorrerão os corredores exclusivos do Move.

Coletivos de linhas diametrais que trafegam de um bairro a outro deixarão de existir, substituídos por linhas alimentadoras dos bairros até as estações São Gabriel e Vilarinho. O planejamento oficial indica que o terminal localizado em Venda Nova será integrado ao Move no próximo dia 19, com duas linhas.

O reforço do BRT começa no próximo sábado, mas com alterações ainda tímidas. Duas linhas vão entrar em operação e quatro serão reformuladas. Cinco outras terão mudanças nos quadros de horários e duas serão extintas. Os passos seguintes do cronograma dependem do andamento das obras, mas para o dia 19 deste mês está prevista a segunda fase das modificações, com três novas linhas e a substituição de cinco que trafegam pela Região Nordeste de BH. Em 3 de maio está programado para entrar em operação o restante do sistema, quando serão criadas 14 linhas e substituídas 10 que atendem moradores das regiões Noroeste, Oeste e Pampulha. Haverá ainda alteração nos quadros de horário, itinerários e na numeração de vários ônibus.

Exemplo da mudança é a implantação das linhas 815 (Estação São Gabriel/Conjunto Paulo VI) e 9850 (Estação São Gabriel/Estação José Cândido), a partir deste fim de semana. Serão extintas a 5508 (Aarão Reis via Minaslândia) e 5523A (Conjunto Paulo VI), que terá o itinerário substituído pela 815.

Novos itinerários e horários dos ônibus 66 (Estação Vilarinho/Hospitais) e 642 (Estação Vilarinho/Venda Nova) a partir do dia 19 são indicativo de que nessa data o Move poderá se deslocar para além da estação São Gabriel, embora, inicialmente, o corredor Venda Nova/Vilarinho esteja previsto para operar no mês que vem, de acordo com a BHTrans.

Também para o dia 19 têm início de circulação previsto as linhas 813 (Estação São Gabriel/Paulo VI via Ribeiro de Abreu), em substituição à atual 5506C; 814 (Estação São Gabriel/Jardim Vitória A), que substitui a 5502A; e 8151 (Estação São Gabriel/BH Shopping). Serão substituídas ainda 5502B (Capitão Eduardo), 5506B (Ribeiro de Abreu via Conjunto) e 5507A (Jardim Guanabara A).

O novo meio de transporte da capital mineira completou um mês esta semana com aprovação de passageiros, apesar das cobranças de melhorias e da necessidade de adequações. No corredor Cristiano Machado, os ônibus começaram a circular gradativamente. Atualmente, 23 articulados estão rodando, de um total de 192. Na Avenida Antônio Carlos, a expectativa é de que a Estação Pampulha entre em operação parcial ainda este mês. A BHTrans não antecipou a data de início do funcionamento do corredor, onde testes estão sendo feitos desde o mês passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário