sábado, 23 de março de 2013

Estações de BRT de Uberaba estão servindo de enfeites

22/03/2013 - Jornal de Uberaba

Ônibus automáticos, suspensão a ar, motor traseiro, tornando o veículo mais silencioso, carroceria mais larga, garantindo mais espaço, bancos de passageiros ergométricos e com encosto de cabeça, as janelas maiores para ventilação adequada. Este é o sonho do usuário do transporte coletivo: ter mais espaço e conforto.


Em Uberaba, os passageiros até acreditaram que iriam andar em veículos deste tipo, mas o que ocorreu foi apenas apresentação dos ônibus BRT (Bus Rapid Transit ou Trânsito Rápido de Ônibus ou metrorizados), que vão operar nas linhas do Sistema Leste-Oeste, quando foram apresentados à população e ao ex-prefeito Anderson Adauto, em dezembro do ano passado, pelas concessionárias do transporte coletivo urbano, Lider e Piracicabana.

Os ônibus apresentados e as estações de embarque e desembarque de passageiros que foram instaladas ao longo da avenida Leopoldino de Oliveira, até o momento, não passam de meros enfeites. Eles fazem parte do projeto de mobilidade urbana para a expansão do sistema de transporte para as regiões sudeste e sudoeste, a ser implantado no município.

De acordo com o projeto elaborado pelo arquiteto Jaime Lerner, o objetivo do sistema é solucionar os problemas do trânsito em algumas áreas críticas e organizar a circulação do transporte coletivo. Ao todo, foram instaladas dez estações climatizadas e dois terminais que irão interligar as regiões Leste/Oeste e Sudeste/Sudoeste. O cronograma inicial era de que as obras da primeira etapa do projeto deveriam ter sido concluídas em novembro do ano passado, com previsão de funcionamento no final de 2012.

Entretanto, isso não aconteceu. As estações climatizadas já foram montadas, duas delas através de emenda de iniciativa individual no valor de R$ 400 mil, uma do deputado federal Aelton Freitas (PR/MG) e outra do prefeito Paulo Piau (PMDB), quando ainda era deputado. O que se vê são estruturas "abandonadas", cheias de água e com denúncia de focos de dengue. Algumas estações estão ficando sem terra no pé das estruturas, já que a chuva tem levado terra dos locais e as obras realizadas pelo projeto Água Viva acabaram retirando a terra das bases dessas estruturas. Em outras, o mato toma conta.

Quanto às estações, elas continuam paradas. O terminal Oeste, que ficará próximo ao novo shopping, na Univerdecidade, e o terminal Leste, no Manoel Mendes, estão parados. No Leste, a situação é pior, já que a área onde será implantada está sub judice. Já no terminal Oeste, foi iniciada a terraplenagem e o que se vê é acúmulo de terra.

Enquanto isso, a população continua aguardando o prometido moderno sistema de ônibus, que garantirá conforto e eficiência. E o dinheiro até então investido está sendo consumido pelas intempéries do tempo. Se o projeto de mobilidade urbana não for implantado com agilidade, nas palavras da própria população, "as estruturas irão deteriorar e o dinheiro do povo, mais uma vez, irá para o ralo".

Por Maria das Graças Salvador
Informações: Jornal de Uberaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário